24.11.08

Introdução

Comer interliga as pessoas pela emoção. Interliga pelas mãos que transformam. Pela boca que se alimenta, nos interligamos pela fome. A comida revela temperamentos, a pitada do sal é a extensão do momento, unindo as pessoas para que compartilhem de um mesmo desejo.

A simplicidade desse desejo é o desafio de quem oferece ao outro o conforto primitivo. O primeiro beijo do Homem é na teta da mãe, e até que não prove de outros lábios, sua busca só cessa quando abocanha, faminto, as frutas, as carnes e o pão.

Quem oferece comida, oferece amor incondicional, uma mistura de desejo maternal e vaidade, quando se põe à mesa a panela fumegante, o sentimento cresce, e o desejo é que as pessoas pulem em cima, lambendo os cantos que transbordam com o molho.

2 comentários:

harry/henry disse...

muito bom o texto... me deu até fome, acho que comerei algo.

Luciana Elaiuy disse...

é isso! é isso!